04 de Junho 2020

O Intestino

Aprenda como cuidar melhor do seu intestino

O corpo humano é uma máquina incrível. Todos os seus órgãos e sistemas trabalhando para manter a vida é algo realmente extraordinário. Por mais que a ciência já tenha estudado, vários aspectos do corpo humano ainda precisam ser desvendados.

Estudos recentes mostram a importância do intestino que, durante muito tempo foi negligenciado e considerado apenas como um depósito de excremento mas, na verdade, é tão importante, que quando não está funcionando direito, causa até problemas neurológicos.

Os intestinos e o cérebro têm uma ligação direta e, mesmo que esta ligação fosse cortada, ele continuaria a trabalhar no processo da digestão. Um fenômeno como esse não existe em nenhuma outra parte do nosso corpo. Sem o comando do cérebro, as pernas ficariam imóveis e os pulmões nãos seriam capazes de respirar por exemplo. Podemos dizer que o intestino tem o comando de si próprio.

Além dessa ligação com o cérebro, o intestino também está diretamente relacionado ao nosso sistema imune e à absorção e síntese de nutrientes essenciais.

Nosso intestino é povoado por uma quantidade enorme de bactérias que coexistem conosco de forma positiva elas são conhecidas como flora intestinal ou microbiota. A microbiota intestinal chega a pesar 2 kilos e abriga cerca de 100 trilhões de bactérias.

Em um grama de fezes há mais bactérias do que pessoas no planeta Terra. E elas precisam ser alimentadas. Quem tem uma alimentação monótona, comendo sempre as mesmas coisas como arroz, feijão e bife, desenvolvem uma microbiota mais pobre e apresentam mais problemas de saúde. Quanto mais variada e saudável nossa alimentação, maior será a variedade de bactérias no nosso intestino e maior será nossa qualidade de vida.

O intestino está muito relacionado ao seu nível de estresse. Se seu intestino não funciona, seu nível de estresse aumenta e, o contrário também é verdadeiro, se você está muito estressado, seu intestino trava. Problemas de depressão e alterações de humor muitas vezes estão associados ao mal funcionamento intestinal.

Tanto é que estão sendo desenvolvidos medicamentos para tratamento destes distúrbios que têm ação diretamente no intestino. São os psicobióticos.

As desordens na microbiota intestinal recebem o nome de disbiose e, em casos mais simples, são tratadas com o uso de pré e próbióticos. Pré-bióticos são substâncias que servem de alimento para nossas bactérias. Podem ser ingeridos em cápsulas ou pó encontrados em farmácias. Os pró-bióticos são as próprias bactérias intestinais em pó ou em cápsulas, em iogurtes ou kefir.

Existem ainda os simbióticos que misturam os dois pré e pró-bióticos. Existe um outro tratamento atual que pode parecer estranho que é o transplante de fezes que é justamente feito para enriquecer a microbiota. Por exemplo transplanta-se as fezes de uma pessoa com uma microbiota saudável para outra pessoa que tem uma microbiota muito pobre.  Tudo para o bem do intestino.

Um problema intestinal corriqueiro que aflige principalmente as mulheres é a constipação,  parece algo sem importância, mas isso precisa ser resolvido. Não podemos achar que  é normal e que podemos deixar pra lá porque afinal de contas é apenas o intestino preso. É só usar um laxante de vez em quando que vai ficar tudo bem. Não vai. Precisamos do nosso intestino funcionando para que o corpo prospere.

É muito importante também realizar a colonoscopia que é um exame de imagem no intestino para detectar lesões que se tornarão um câncer no futuro. O Câncer de cólon já é um dos mais frequentes no Brasil.

Existem também suplementos que ajudam o intestino a funcionar melhor por exemplo, o psyllium, a quitosana, a chia, a glutamina, a pectina, entre outros, mas devem ser tomados de forma correta para ter o efeito desejado.

A hidratação também é muito importante para o funcionamento intestinal e o consumo de azeite de oliva de boa qualidade também revigora as funções intestinais.

Não vamos mais negligenciar este órgão que é vital, é a porta de entrada para tudo que vai nutrir nosso corpo afinal de contas é no intestino que os nutrientes são absorvidos.

Por Dra. Elaine Weiler